quinta-feira, 25 de novembro de 2010

conformismo


Tento entender porque eu tinha tanto medo, onde era que eu havia esquecido de mim?
Eu deveria ter aceitado tantas vezes o final, nunca aceitava isso me prendia muito mais a algo que talvez não fosse pra mim. Até que novamente o fim chegou e caiu a ficha que ter medo é o que nunca fez isso passar, lógico que amar contava também, mas se conformar com as coisas faz elas serem mais facilmente superadas.
Perder pessoas é tão triste que a gente acaba por mais que não estando com elas, se prendendo, se aturando, se apegando, de alguma forma, quando as vezes isso pode ser uma forma de tortura que a gente não enxerga.
Ter medo que o outro não te ame mais, não te ligue, não se preocupe, esteja com outras mil pessoas, medo até da própria saudade que aperta forte em alguns dias. Quando pela primeira vez eu me permitir não sentir isso, me senti mais leve. Lógico que é impossível não ter medo de nada, mas pela primeira vez eu não tenho medo do fim, as coisas acabam um dia, eu já sabia disso e nós somos tão frágeis, que eu não sei como durou por tanto tempo. Talvez seja a hora da partida, Adeus, pela última vez você foi o meu amor!

4 comentários:

Rica Retamal ® disse...

Quem fica olhando muito para trás, tropeça e cai de cara no chão! :P

Bjo, menina.

lorena lago disse...

completamente verdade isso, ricardo!

Anônimo disse...

meu irmãaaao esquece o cara q ele já ta em outras.

Coisas De Tati disse...

é disso que tenho que me livrar!!!
esse "conformismo" é muito ruim!!! até que fim, achei alguém que pensa como eu!!!!