segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Tranquilidade




A cura às vezes, começa por onde a gente menos espera, não é mesmo?

Na verdade, a cura vir do inesperado é tão a história da minha vida. Porque o fato é que as vezes você da oportunidades pra coisas porque acha que aquilo não vai te envolver, pelo simples fato de você justamente não querer gostar de ninguém.E não que eu esteja dizendo que goste de alguém, não no sentido de estar realmente apaixona, mas a questão é que em determinados momentos da sua vida algumas pessoas te dão uma certa paz, conforto...Sabe como é? Você tem o que precisa pra aquele momento e não precisa dar muito, mas as coisas funcionam exatamente como tem que ser.A cura nem sempre oriunda de uma grande paixão, ela pode vir com a conquista, de uma amizade, de um companheirismo ou até mesmo de algo carnal, o que pode se tornar tão bonito quanto qualquer coisa. Tudo na vida pode se tornar bonito, quando duas pessoas estão dispostas a ser incríveis umas com as outras, a magia pode existir.

 Grandes paixões nem sempre crescem saudáveis, você sente tudo ao mesmo tempo em um curto espaço de tempo, quando de repente furam a sua bolha, você cai de cara no chão, sem piedade, mas quando você constrói as coisas aos poucos, talvez o castelo se torne mais difícil de ser destruído, fortalecendo pouco a pouco cada tijolo que é colocado, sem pressa, não há porque ter pressa, não há medo, não há insegurança, ninguém precisa provar nada a ninguém, não há precipitações ou atropelos. 

Sem qualquer pressão você constrói sem ao menos querer um elo, de carinho, consideração,respeito e um bando de outras coisas que você nem mesmo almejou, aconteceu, desse modo torto, deu certo, o tanto fazia dar ou não, de repente construiu-se algo bom dali. Logo você tão acostumado com o caos, tirando bons frutos do que supostamente era um perfeito caos a não ser levado a sério, não que ele vá realmente dar certo, mas só de ele ter dado mais certo do que supostamente deveria dar, é sem dúvida algo relevante. E se não der certo tudo bem, sabe por quê? Porque você espera que o caos seja caos, quando ele é um pouco paraíso, você só tem a ganhar, mesmo que tudo acabe em uma grande tempestade, o que importa é aproveitar a calmaria.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Coisas as quais você precisa saber.


É injusto como uma linda história pode terminar assim, não é mesmo?!

Lembro como se fosse hoje o dia em que te conheci, você meio tímido, dá pra acreditar? Timidez definitivamente não combina com você.Te olhei, mas preferi não te ver, mas meu subconsciente guardou aquela memória, hoje eu consigo enxergar o quanto aquele dia foi importante.Imagina só como a minha vida teria sido menos engraçada sem te conhecer?

Uma pena que eu nunca vou te dizer uma porção de coisas, pena que você nunca vai ler esse texto, que eu nunca vou poder te explicar que te esquecer não é uma questão de escolha, que o tempo nunca vai poder te apagar e  que eu não vou poder te falar que foi no meio daquela sua risada que eu te olhei e descobri que você tinha se tornado especial e o quanto a vida pareceu perfeita diante daquele pequeno grande detalhe.

Eu só queria te dizer que eu me apaixonei pelo teu caos, que se toda a pessoa tem um lugar no mundo, você é o meu, que me tornei romântica após descobrir que eu era a sua primavera, que eu ainda não esqueci do tom da sua voz, que amo o jeito como você olha pra minha boca enquanto fala comigo e do modo como você sorri olhando pra baixo, quando fica sem graça, que eu adoro quando você me olha dentro dos olhos, como se aquele fosse o momento mais lindo das nossas vidas, que o por-do-sol sempre me lembra nós dois, que me dá vontade de chorar toda vez que eu escrevo um texto pra você, que a vida perdeu um pouco da graça e que as vezes, eu me pergunto se você sente o mesmo ainda por mim.

Vontade de te perguntar se ainda tem espaço ai pra mim, será que tem? Tenho medo, medo que a gente tenha se perdido pra sempre, que as nossas cores não sejam mais compatíveis, que o meu tom de verde não fique mais bem com o seu tom de vermelho, que o meu abraço passe a não ser mais o seu melhor refugio, que você passe a lembrar de mim sem sorrir ou sentir a dor da saudade, que o cheiro do meu cabelo comece a ser só mais um em meio a multidão, que o dia 4 passe a ser um dia qualquer, que você esqueça da minha voz e de como eu costumava a te fazer se sentir especial.

Você é a melhor coisa que já foi minha, as nossas poucas diferenças e muitas igualdades me completam. Queria que a saudade não machucasse tanto, que a dor não fosse agressiva, queria que o escândalo do silêncio fosse suprido com o calor do seu abraço, que a paz do sussurro da tua voz fosse frequente, que a doce insistência do nosso amor fosse respeitada e que a verdade dita não te assustasse. Eu não tenho vergonha de te amar, não tenha vergonha de me amar também.


Eu nem queria muita coisa, eu não desejei o impossível, eu desejei o fundamental, eu queria te ter.


“Então eu fechei os olhos para te trazer pra bem perto de mim. Estava friozinho e dava pra sentir você ali, deitado na minha cama. E você estava lindo, lindo, mas tão lindo que aquela podia ser a última imagem da minha vida."

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Te confesso.

Te confesso que não dá vontade de partir, digo, não de seguir em frente, mas de deixar sentimento pra trás, de deixar a gente.As vezes sou teimosa, é que eu dificilmente  amo alguém e também porque só eu sei o quanto fui feliz e o quanto eu ainda poderia ser e te fazer sentir igual.

Mas é chegada a hora da partida, é chegada a hora de lembrar de mim, de deixar coração de lado, de parar de atrasar a minha vida por um sofrimento que não tem uma data muito certa pra acabar, é o momento em que devo ser forte, mais do que eu já tento ser, é o momento de seguir reto, sem olhar pra trás, mesmo sem esquecer o que foi doce e o que sempre veria, se olhasse.A partida é isso, crescer é isso, deixar pra trás coisas que se ama, para que um dia, se forem realmente suas, elas voltem.

O medo de você nunca voltar, é inevitável, mas é preciso tentar ser feliz, com novos sorrisos e historias. Alguém sempre estará disposto a fazer a gente sorrir de novo, não qualquer sorriso, mas daquele jeito, quando a gente descobre que tá apaixonado por alguém, sabe como é?!

Queria gostar mesmo de verdade de alguém, ainda não consegui, as pessoas são tão banais e passageiras, mas tenho muita fé que esse dia vai chegar e eu, eu vou estar preparada, não sei se pra dar o mesmo amor que te dei, mas estarei pronta pra amar e sorrir, daquele jeito que as palavras fogem, que a euforia toma conta, que te deixa nervoso, que você sente um vendaval por dentro e se apaixona, até mesmo pelo caos.



quinta-feira, 6 de junho de 2013

Âncora


Todos os textos de amor parecem que não fazem mais o mesmo sentido, sabe quando finalmente você acha que encontrou alguém que pela primeira vez na vida julga ser o amor da sua vida?

Acho que você é amor da minha, gostaria de estar errada, até porque não estamos mais juntos, queria amar outra pessoa assim, desse jeito que me arrepia dos pés a cabeça, que me faz sentir um vendaval dentro de mim, que faz pensar que longe a vida perde um pouco o sentido.

Queria também que a gente tivesse tido tempo, aliás, tempo foi tudo o que não tivemos, queria ter tipo tempo de gritar pra todo o mundo o quanto você era meu e eu era sua e o quanto a gente se amava de uma forma inexplicavelmente pura e linda, como se veem em poucos casais.

Lembro do nosso último beijo e do último abraço, te olhei e de certa forma eu já sabia dentro de mim mesma que era o fim, prestei atenção em absolutamente todos os detalhes, pra sempre me lembrar o quanto você estava lindo  naquela blusa verde de botão, como eu poderia esquecer, verde é a minha cor preferida, você estava com aquele óculos que eu adoro, sorria sem graça e dizia o quanto sentia saudade de me ver e de sentir o cheiro bom do meu cabelo, entre um gole e outro de refrigerante, você me olhava e sorria e o mundo poderia acabar naquele mesmo instante que eu seria a mulher mais feliz do mundo, porque você, você sem dúvida seria a pessoa que eu queria ver pela última vez.

Cometemos o nosso último ato de loucura juntos, aquele dia, depois disso nunca mais nos vimos, mais de certa forma, continuei sentindo a sua presença, em todos os lugares, seu cheiro, seu beijo, sua risada, seu sorriso bobo, seu olhar (meu favorito no mundo todo), tudo isso continuou presente, você foi embora, mas isso ficou e doeu, doeu muito e de certa forma ainda dói, sem eu sentir ou admitir.

As vezes quando vejo o pôr -do-sol , lembro de você, lembro  daquela tarde feliz, onde tudo parecia passar em câmera lenta e ao mesmo tempo, tão rápido, uma hora juntos, pareciam minutos, tudo terminava tão repentino e ao  mesmo tempo tão lento,  que consigo me lembrar de cada detalhe.

Lembro também quando eu disse que te amava, eu nunca tinha dito isso primeiro pra ninguém, mas eu tinha certeza naquele momento, que eu te amava mais do que tudo que já tinha conhecido e foi nesse momento que senti um daqueles segundos de eternidade que assustam o coração, mas me senti leve, leve como poucas vezes eu me senti na vida e então você me disse que queria exatamente me dizer isso a tanto tempo, mas tinha medo de me assustar, foi então naquele momento que eu tive certeza de que eu era sua e você era meu.

E mesmo que um dia eu descubra que você não é o amor da minha vida, uma parte de mim sempre achará que sim,  porque eu sei que todas as vezes que eu lembrar de nós dois, sempre vou sorrir, sem perceber e um filme passará rapidamente pela minha cabeça, como flash's da eternidade, que não se apagam nunca.

Sempre vou lembrar que eu sou você e você sou eu e que a gente foi feitos SIM pra se encontrar, mesmo que não não tivéssemos que dar certo, nessa vida (quem sabe na próxima?), eu precisava te conhecer pra amar assim e que talvez eu precisasse te perder, pra entender que a felicidade não é um destino, mas a viagem e que talvez nunca fiquemos juntos, de novo, mas que os poucos ouvintes que escutaram e escutarão essa história, nunca duvidem o quanto a gente se amou e que vai pra sempre se amar, mesmo que a gente um dia negue, por orgulho bobo o quanto supostamente a gente não se importa mais.

"And there's no one else
That knows me
Like you do
What I' ve  done
You' ve done too
The walls I
Hide  behind
You want through
You just walk through"

sábado, 2 de março de 2013

Dorme (Texto de 2010)


Tem coisas que eu sei que sinceramente não voltam mais, não é drama, não é carência, nem precipitação da minha parte. Mas porque não voltam mesmo.
Não sei se essa é a ultima carta que eu te escrevo, mas agora me veio em mente os últimos momentos em que os nossos lábios se tocaram. O amor parece sempre tão maior quando a gente sente né? E realmente ele é.
Me deu uma vontade tão grande de escrever para colocar tudo isso pra fora(eu to escrevendo em um guardanapo) , eu descobri que quando a gente precisa aliviar as coisas a gente tem que fazê-las e é por isso que escrevo.
Acho que você nunca vai ler essa carta, porque eu nunca vou te mandar, eu escrevo pra me aliviar, é um modo que a muito tempo eu encontrei ( te ensinei , por sinal) para organizar as minhas idéias.
Dorme, porque nem tudo é ou parece vivo pra sempre.
Dorme, porque tudo precisa de um descanso, minha insônia de amor pediu sossego. Peço licença mais uma vez, humildemente para me retirar. Eu precisava sorrir, rir, me sentir feliz de verdade, mas para isso eu precisava dormir, e se para ser feliz eu preciso dormir para sempre, então eu quero dormir para a eternidade.
Ta fazendo o maior frio aqui fora, mas não vou pedir para você me abraçar, mas obrigada por todos os abraços nas manhãs, tardes e noites frias, não vou mentir que eu pelo menos tive momentos quase inesquecíveis com você. Eu não sei se espero esquecê-los de vez, porque quando a gente dorme, sonhamos com todas as coisas, mas sempre vem uma vez ou outra uns sonhos antigos, mas as vezes eles simplesmente se vão, vão de uma forma que não se consegue mais lembrar nem que a gente faça força.
Algumas coisas eu espero não conseguir nunca mais lembrar, as outras, eu deixo na mão de Deus, da vida...
Aprendi que a dor só se supera com dor, felicidade e com o tempo. Desde que eu descobri que as pessoas sempre vêm, mas nunca ficam eu consegui parar de ficar acordada a espera do que nada viria e por isso adormeci.
As vezes posso sentir os dedos de alguém entre meus cabelos, não sei se são os seus. Eu acho que não e nem espero que sejam.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Quebra-cabeça



Existem duas coisas que pra mim tornam tudo muito difícil: espera e paciência`.

 Tenho certeza que a vida vai me testar durante toda a minha existência em relação a isso, mas meu grande problema é que me frustro muito rápido, tenho preguiça e falta de paciência pra esperar por algo que eu sei que vai me martirizar, sei esperar por coisas que me excitam, mas não pelo que me rasga o peito, não sei lidar com dores, evito senti-las, se algo me incomoda eu logo guardo dentro de um baú e ignoro aquilo, claro que às vezes vai sair algo pela fechadura dele, mas é bem diferente de quando ele tá aberto.

No geral encarar as coisas assim parece muito bom, porque você automáticamente pensa muito pouco nas coisas que te machucam, mas como tudo tem seu lado ruim, desistir das coisas nem sempre tem o seu lado bom, a propósito, tem um lado muito ruim.

Odeio desistir ou deixar pra lá muitas coisas na minha vida que eu julgo importantes pelo simples fato de ter que passar por maus bocados antes de chegar nelas, até porque a vida é uma constante luta a procura da felicidade e realização pessoal e pra chegar a tudo isso você precisa lutar, matar leões todos os dias. E eu sei que tô errada, sei que preciso mudar, mas a vontade de não me estressar com as coisas as vezes consegue ser maior. Tenho uma fé enorme, mas como aprendi a me “conformar” superficialmente com coisas que me incomodam e “anular”elas, eu automaticamente não me desespero mais muito tempo por nada  e na vida é muito importante que você tenha preocupações, não vou dizer que não tenho, tenho sim(diversas), mas nada que me desespere tanto ao ponto de lutar muito por tantas coisas que seria o certo ir atrás, luto apenas por coisas que são necessárias pra minha sobrevivência.

Eu sou tão egoísta nesse ponto, meus pais são as pessoas que mais esperam de mim e eu dou tão pouco pra eles, não é de propósito, eu juro, mas a vida me mudou, as coisas me mudaram, as circunstâncias, as pessoas, as ocasiões, o modo como o mundo segue, tudo conspirou para que eu me tornasse uma pessoa com “ poucas necessidades”, não que necessariamente eu realmente seja alguém que não almeje muita coisa, mas eu tranquei o baú, nele estão meus reais sonhos e desejos e da fechadura só saem as necessidades mais primárias e primordiais.

Em muitos momentos eu penso em mudar, penso em tentar desistir menos de muita coisa, mas ai me vem a cabeça o que realmente vale a pena lutar? Porque hoje você acha que algo vale a pena e ai mais pra frente às pessoas ou as situações te mostram que não, daí você se frustra e tem mais uma dor que sabe que poderia ter evitado, mas quis ser sonhador e levou pancada. 

É difícil saber o que é certo ou errado, sei que a vida é feita pra se arriscar muitas coisas, o problema é que foi por arriscar tanto, por ser tanto mais coração do que razão que apanhei tanto, que perdi tanto, que me machuquei tanto, não que isso não tenha me feito crescer, me fez e muito, sei que precisava passar por tudo que passei, sou eternamente grata á isso, mas inevitavelmente fiquei mais dura, fria, arredia, atenta, depois de um tempo parei de continuar jogando um jogo que sei que estou perdendo, com a fé de jogar na esperança de que uma hora eu iria ganhar, até porque existem tantos outros jogos por ai, por que eu deveria continuar naquele? Sei que às vezes é difícil largar algo porque é exatamente o que você quer (ou o que você ama), mas nunca se esqueça de que na vida eu aprendi a perder, mas também aprendi que quando eu perco, devo me retirar pra não me ferir mais e mais, as possibilidades de me ferir na segunda jogada são mais prováveis do que não me ferir.

Sei que as coisas acontecem com a gente em função do destino, sei que precisava conhecer muita gente, sei que certas pessoas eram essenciais para essa minha caminhada chamada vida tivesse o caminho certo, mas é muito difícil passar por dores, dores são coisas que você evita, ninguém gosta de sofrer, então a gente foge, principalmente quando você já sentiu as piores dores do mundo e o destino é um cara complicado, ele funciona como um filme que tem um final surpreendente, aonde tudo no fim vai se ligar de forma harmoniosa e perfeita, mas você que tem que encaixar as peças desse quebra-cabeça, senão  nunca vai ver o fim do desenho, o problema é que as vezes o filme demora mais tempo pra uns e menos para outros, alguns precisam passar por mais provas do que outros, conhecer mais pessoas vitais do que outras e existem momentos certos para isso acontecer e também os certos pra você entender o porque, o difícil é ter paciência para esperar tudo isso acontecer.