segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Perdas



Perdi tantas coisas pelo caminho, deixei, deixaram, quebraram, perderam...
Algumas doeram menos, mas nunca deixaram de ser perdas. Sinto falta de não ter medo desse sentimento, porque eu sabia que não teria que sentir nunca, porque nunca tive motivos pra sentir, mas esse ano, perdi muitas coisas, pessoas, afetos, amor, respeitos, confiança, perdi a saudade em tanta coisa, por saber que elas nunca mais voltariam.
Não queria deixar ir, mas arrancaram, partiram, levaram... Não me pediram permissão, eu não tava preparada, as coisas não estavam. Tudo mudou de lugar, tanta bagunça, confusão, coisas que nunca entenderemos, talvez jamais entenderemos, mas que as vezes arranhão o coração em noites frias.

3 comentários:

J. Bentes disse...

gosto muito do que escreves

Rita disse...

Acabei de conhecer você através da minha Filha que segue seu blog!
Eu também perdi tantas coisas!
Gosto muito do Fernando Pessoa, e existe um trecho em Tabacaria....."Fiz de mim o que não soube, E o que podia fazer de mim não o fiz o dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me
Quando quis tirar a máscara, Estava pregada na cara.
Quando a tirei e me vi no espelho, Já tinha envelhecido.
Estava bêbado,já não sabia vestir o dominó que não tinha tirado.
Deitei fora a máscara e dormi no vestiário.
Como um cão suportado pela gerência
Por ser inofensivo
Eu vou escrever esta história pra provar que sou sublime".

lorena lago disse...

Nossa Rita, que bom que você gostou do meu blog, espero que os outros textos tenham lhe agradado!
bjs

PS:Adoro Fernando Pessoa.