quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

velha rotina


Sinto falta da minha antiga rotina, de acordar com um “bom dia, amor”, “te acordei? Desculpa amor, dorme!”, é tão estranho acordar e não ver mais nada, de passar a tarde olhar pro celular e não ter NADA, de chegar a noite e continuar sem nada, dói mudar uma rotina, viu?!
É triste o modo como as coisas mudam bruscamente sem esperar que tu te adéqües a elas, mesmo querendo aceitar ou não a gente se torna obrigado a aturá-la.
Sinto falta de alguém me pedir 10 vezes “me dá atenção” mesmo eu já estando dando ela, sinto falta até da tua dislexia que me fazia rir, do teu mau humor matinal, da tua risada que eu reconheceria até em uma sala lotada, de contar como foi o meu dia, de ter alguém pra dizer ou pra falar o que quer que seja a hora que seja, sinto falta de cumplicidade, da intimidade, do teu abraço, até do tom mais grosso da tua voz quando tava com ciúme, sinto falta das pequenas coisas, até mesmo de só ficar simplesmente te olhando, já que nem isso mais eu posso fazer agora.
Adoraria que você sentisse a mesma saudade que eu estou sentindo, sinto falta de tudo, você não...
Adoraria não ter que estar escrevendo esse texto, mas a minha rotina mudou...